mod_eprivacy

You have allowed cookies to be placed on your computer. This decision can be reversed.

 

Cerimônia no Monumento Votivo Militar Brasileiro

reverencia os 465 heróis da Força Expedicionária

Brasileira mortos em combate

Dos mais de 25 mil homens enviados do Brasil para combater o nazifascismo na Itália, entre 1944 e 1945, 465 sacrificaram suas vidas na luta pela liberdade. Inicialmente, foram sepultados no Cemitério Militar de Pistóia, mas seus corpos foram trasladados ao Rio de Janeiro em 1960, onde repousam no Monumento Nacional aos Mortos na Segunda Guerra Mundial. Todavia, naquela cidade italiana permanece, até os dias atuais, um dos marcos mais importantes da participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB) no maior conflito bélico da história. No local dos antigos jazigos, funciona desde 1965 o Monumento Votivo Militar Brasileiro, cenário de uma celebração marcante ocorrida no último dia 21 de abril.

Uma solenidade em memória dos Pracinhas que tombaram em terras italianas contou com as presenças de autoridades brasileiras, como o Ministro da Defesa, General de Exército Joaquim Silva e Luna; o Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General de Exército Sérgio Westphalen Etchegoyen; o Ministro do Turismo, Vinícius Lummertz; e o Embaixador do Brasil na Itália,Antonio de Aguiar Patriota. Além disso, autoridades italianas também se fizeram presentes, como o Prefeito de Pistóia, Alessandro TomasiO General Silva e Luna salientou que brasileiros e italianos são povos unidos pelo supremo sacrifício da guerra. “O objetivo da FEB nunca foi conquistar terras ou subjugar povos, mas devolver a esperança por dias melhores”.

 Já o Prefeito de Pistóia destacou “a amizade demonstrada pelos militares brasileiros para com a população italiana, já desgastada pela longa guerra, e a bravura em defesa dos ideais de justiça e liberdade”. A cerimônia no Monumento Votivo integrou a programação comemorativa da Campanha da FEB na Itália. Cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras e alunos de Escolas de Formação de Sargentos do Brasil foram convidados para acompanhar os eventos. Um deles foi o Cadete do 4° ano da AMAN (Curso de Cavalaria), André Andrade Longaray Filho, que demonstrou a emoção de ver de perto uma das páginas mais gloriosas do Exército.

 

“É uma honra estar presente nessa cerimônia que busca revitalizar a memória dos nossos Pracinhas, no local onde foram sepultados heróis como o Aspirante Mega, o Tenente Amaro e o Sargento Max Wolff e, ainda, ver como a população de Pistóia mantém viva a nossa história aqui na Itália”. Projetado pelo arquiteto Olavo Redig de Carvalho, o Monumento Votivo tem como Guardião o SenhorMário Pereira. Ele é filho do ex-Pracinha Miguel Pereira, que combateu como Sargento, casou-se com uma italiana ao fim da guerra e foi o primeiro administrador do antigo Cemitério de Pistóia.

 

 Fonte: Agência Verde Oliva

 

 

 

 

 

Idioma

Topo
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com